Estamos aqui para impulsionar a transformação no mercado da saúde

Água engarrafada mascara fracasso mundial em fornecer água segura para todos

Escrito por Letícia Nani

maio 4, 2023

A indústria da água engarrafada está ajudando a mascarar um problema mundial incapacitante: o fracasso de sistemas públicos para fornecer água potável confiável para todos, uma meta chave dos ODS.

Algumas empresas privadas pegam um bem público a baixo custo, tratam-no e vendem-no de volta para aqueles que podem pagar. Ironicamente, casos de 40 países mostram que o produto nem sempre é seguro.  Há ainda o problema crescente de resíduos plásticos de garrafas de água, suficientes todos os anos para encher uma linha de caminhões de 40 toneladas de Nova York a Bangkok. É importante fortalecer a regulamentação da indústria em geral.

O crescimento da indústria destaca ainda mais as desigualdades globais e a necessidade de acesso universal à água segura, suficiente e acessível como um direito humano básico.
HAMILTON, Canadá – O rápido crescimento da indústria de água engarrafada pode minar o progresso em direção a uma importante meta de desenvolvimento sustentável: água segura para todos, diz um novo relatório das Nações Unidas.

Com base em uma análise da literatura e dados de 109 países, o relatório diz que em apenas cinco décadas a água engarrafada se tornou “um setor econômico importante e essencialmente autônomo”, experimentando um crescimento de 73% de 2010 a 2020. E as vendas devem chegar a quase dobrar até 2030, de US$ 270 bilhões para US$ 500 bilhões.

Divulgado alguns dias antes do Dia Mundial da Água (22 de março), o relatório do Instituto Canadense de Água, Meio Ambiente e Saúde da Universidade da ONU conclui que a expansão irrestrita da indústria de água engarrafada “não está alinhada estrategicamente com o objetivo de fornecer acesso à água potável ou, pelo menos, retarda o progresso global a esse respeito, distraindo os esforços de desenvolvimento e redirecionando a atenção para uma opção menos confiável e menos acessível para muitos, enquanto permanece altamente lucrativo para os produtores”.

Diz Kaveh Madani, o novo diretor da UNU-INWEH: “O aumento no consumo de água engarrafada reflete décadas de progresso limitado e muitas falhas nos sistemas públicos de abastecimento de água.”

Quando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável foram acordados em 2015, observa ele, especialistas de outros lugares estimaram que seria necessário um investimento anual de US$ 114 bilhões de 2015 a 2030 para alcançar uma meta fundamental: água potável universal.

O relatório diz que fornecer água potável para cerca de 2 bilhões de pessoas exigiria um investimento anual de menos da metade dos US$ 270 bilhões gastos todos os anos em água engarrafada. “Isso aponta para um caso global de extrema injustiça social, em que bilhões de pessoas em todo o mundo não têm acesso a serviços de água confiáveis, enquanto outras desfrutam do luxo da água.”

Percepções da água da torneira: 

O estudo cita pesquisas que mostram que a água engarrafada é muitas vezes percebida no Norte Global como um produto mais saudável e saboroso do que a água da torneira – mais um bem de luxo do que uma necessidade. No Sul Global, as vendas são impulsionadas pela falta ou ausência de abastecimento público confiável de água e limitações de infraestrutura de distribuição de água devido à rápida urbanização.

Em países de renda média e baixa, o consumo de água engarrafada está associado à má qualidade da água encanada e sistemas públicos de abastecimento de água muitas vezes não confiáveis ​​– problemas geralmente causados ​​por corrupção e subinvestimento crônico em infraestrutura de água encanada.

As empresas de bebidas são adeptas de comercializar água engarrafada como uma alternativa segura à água da torneira, chamando a atenção para falhas isoladas do sistema público de água, diz o pesquisador da UNU-INWEH e principal autor Zeineb Bouhlel, acrescentando que “mesmo que em certos países a água encanada seja ou possa ser de boa qualidade, restaurar a confiança do público na água encanada provavelmente exigirá esforços substanciais de marketing e defesa”.

Não necessariamente seguro:

Dr. Bouhlel observa que a fonte de água engarrafada (sistema municipal, superfície, etc.) os processos de tratamento utilizados (por exemplo, cloração, desinfecção ultravioleta, ozonização, osmose reversa), as condições de armazenamento (duração, exposição à luz, temperatura) e embalagem (plástico, vidro), podem potencialmente alterar a qualidade da água. Isso pode ser inorgânico (por exemplo, metais pesados, pH, turbidez etc.), orgânico (benzeno, pesticidas, microplásticos, etc.) e microbiológico (bactérias patogênicas, vírus, fungos e protozoários parasitas).

Segundo o relatório, “a composição mineral da água engarrafada pode variar significativamente entre diferentes marcas, dentro da mesma marca em diferentes países e até mesmo entre diferentes garrafas do mesmo lote”.

O relatório lista exemplos, de mais de 40 países em todas as regiões do mundo, de contaminação de centenas de marcas de água engarrafada e todos os tipos de água engarrafada. “Esta revisão constitui uma forte evidência contra a percepção enganosa de que a água engarrafada é uma fonte de água potável inquestionavelmente segura”, diz o Dr. Bouhlel.

Os engarrafadores de água geralmente enfrentam menos escrutínio do que os serviços públicos de água: 

O co-autor Vladimir Smakhtin, ex-diretor da UNU-INWEH, ressalta a conclusão do relatório de que “a água engarrafada geralmente não é tão bem regulamentada e é testada com menos frequência e para menos parâmetros. Padrões rígidos de qualidade da água da torneira raramente são aplicados à água engarrafada e, mesmo que tais análises sejam realizadas, os resultados raramente chegam ao domínio público”.

Os produtores de água engarrafada, diz ele, evitaram em grande parte o escrutínio que os governos impõem aos serviços públicos de água e, em meio ao rápido crescimento do mercado, é “provavelmente mais importante do que nunca fortalecer a legislação que regula a indústria em geral e seus padrões de qualidade da água em particular .”

Com relação aos impactos ambientais da indústria, o relatório diz que há “poucos dados disponíveis sobre os volumes de água extraídos”, em grande parte devido à falta de transparência e fundamentação legal que teria forçado as empresas engarrafadoras a divulgar essas informações publicamente e avaliar as consequências ambientais. ”

“Os impactos locais nos recursos hídricos podem ser significativos”, diz o relatório.

Nos EUA, por exemplo, a Nestlé Waters extrai 3 milhões de litros por dia de Florida Springs; na França, a Danone extrai até 10 milhões de litros por dia de Evian-les-Bains, nos Alpes franceses; e na China, o Grupo Hangzhou Wahaha extrai até 12 milhões de litros diariamente das nascentes das Montanhas Changbai.

Em relação à poluição plástica, os pesquisadores citam estimativas de que a indústria produziu cerca de 600 bilhões de garrafas e recipientes plásticos em 2021, o que converte em cerca de 25 milhões de toneladas de resíduos PET – a maior parte não reciclada e destinada a aterros sanitários – uma massa de plástico igual à peso de 625.000 caminhões de 40 toneladas, o suficiente para formar uma linha de pára-choque a pára-choque de Nova York a Bangkok.

Segundo o relatório, o setor de água engarrafada utilizou 35% das garrafas PET produzidas globalmente em 2019; 85% acabam em aterros ou resíduos não regulamentados.

Os números: 

Entre os muitos insights do relatório, derivados da análise de dados e outras informações reunidas de estudos e literatura globais:

• Mais de 1 milhão de garrafas de água são vendidas em todo o mundo a cada minuto

• O gasto anual per capita mundial é de US$ 34

• O consumo anual mundial dos três principais tipos de água engarrafada – tratada, mineral e natural – é estimado em 350 bilhões de litros

• A receita estimada de US$ 1,225 trilhão em água engarrafada representa 17 a 24% do mercado global de bebidas não alcoólicas embaladas

• O maior segmento de mercado (com 47% das vendas globais) é a água engarrafada tratada, que pode ser proveniente de sistemas públicos de água ou águas superficiais, e que passa por um tratamento de desinfecção, como cloração

• Os cidadãos da Ásia-Pacífico são os maiores consumidores de água engarrafada, seguidos pelos norte-americanos e europeus

• 60% das vendas globais estão no “Sul Global” (Ásia-Pacífico, África, América Latina e Caribe)

• Por país, os EUA são o maior mercado, com cerca de US$ 64 bilhões em vendas, seguidos pela China (quase US$ 45 bilhões) e Indonésia (US$ 22 bilhões). Juntos, esses três países constituem quase metade do mercado mundial. Outros países importantes por vendas: Canadá, Austrália, Cingapura, Alemanha, Tailândia, México, Tailândia, Itália, Japão

• O custo médio de uma garrafa de água na América do Norte e na Europa é de cerca de US$ 2,50, mais que o dobro do preço na Ásia, África e ALC (US$ 0,80, US$ 0,90 e US$ 1, respectivamente). A Austrália, o quinto maior mercado, tem o preço médio mais alto: US$ 3,57 por unidade.

• A água engarrafada por litro pode custar 150 a 1.000 vezes mais do que o preço que um município cobra pela água da torneira.

• Maiores consumidores per capita: Cingapura e Austrália. Cidadãos de Cingapura gastaram US$ 1.348 per capita em água engarrafada em 2021, australianos US$ 386

• De acordo com estudos anteriores, cerca de 31% dos canadenses, 38% dos americanos e 60% dos italianos usam água engarrafada como fonte primária de consumo. Na República Dominicana, 60% dos domicílios usam água engarrafada como fonte primária de água, com forte correlação entre renda e consumo de água engarrafada. Cerca de 80% dos mexicanos usam água engarrafada e 10% usam água purificada em casa como principal fonte de água potável; cerca de 90% citam preocupações com a saúde para fazê-lo

• O Egito é o mercado de mais rápido crescimento para água engarrafada tratada (40% ao ano). Outros sete países do Sul Global estão entre os 10 mercados de crescimento mais rápido: Argélia, Brasil, Indonésia, Emirados Árabes Unidos, Índia, Marrocos e Arábia Saudita.

• Na Europa, a Alemanha é o maior mercado de água engarrafada; na América Latina e no Caribe, o México é o maior mercado; na África, é a África do Sul.

• A água tratada parece ser o maior componente do mercado em volume, enquanto as águas naturais parecem gerar o maior lucro.

• Cinco empresas – PepsiCo, Coca-Cola, Nestlé SA, Danone SA e Primo Corporation somaram vendas de US$ 65 bilhões, mais de 25% do total global

• Estudos anteriores de retiradas de água declaradas na Índia, Paquistão, México e Nepal mostraram retiradas totais estimadas pela Coca-Cola e Nestlé em 2021 em 300 e 100 bilhões de litros, respectivamente

(IPS/ONU/Envolverde)

Via: Agência Envolverde Jornalismo

Acesse o site da epharma

Artigos em comum

Conhecendo a protagonista em inovação na saúde Carolina Soihet Cohen

Conhecendo a protagonista em inovação na saúde Carolina Soihet Cohen

Carolina Soihet Cohen é uma renomada especialista em Comunicação de Causas e uma das líderes do movimento global pela saúde e igualdade de acesso a tratamentos médicos. Como cofundadora da Colabore com o Futuro, ela está à frente na defesa dos direitos à saúde e na...

Conheça o Protagonista da Saúde: Alex Sanghikian

Conheça o Protagonista da Saúde: Alex Sanghikian

Na busca por entender o futuro da saúde, é crucial conhecer os visionários que estão moldando esse cenário. Entre esses líderes está Alex Sanghikian, atual gerente da área de Digital & Inovação da Sandoz no Brasil. Com mais de 15 anos de experiência na vanguarda...

Acompanhe +O2labs

+o2Labs Respire boas ideias

Sobre +O2labs

Uma plataforma própria com uma metodologia vencedora voltada exclusivamente para inovação na prática com 3 programas distintos:

  • Central de Ideias: campanhas de intraempreendedorismo para fomentar a cultura de inovação com os epharmers, nossos colaboradores.
  • epharma Disrupt: desenvolver os melhores MPVs através de squads multifuncionais e alianças estratégicas para cocriação entre experts.
  • epharma Connect: foco em inovação aberta com staturps que queiram fazer parte de nossos desafios de forma colaborativa, e conectar com outros labs para criar parcerias diversificadas e escalar MVPs.

Junte-se a nós neste mesmo objetivo! Respire boas ideias.