Estamos aqui para impulsionar a transformação no mercado da saúde

Como a Ciclix auxiliou um grande hospital a economizar R$ 70 mil em gastos com equipamentos hospitalares

Escrito por Editor@

setembro 26, 2022

Sobre a Ciclix
Após se tornarem vencedores da 1ª edição do Rainbow Hackathon Brazil, realizado em 2018 na cidade de São José, em Santa Catarina, Christian Ruppenthal e Edilberto Neto levaram a ideia adiante e fundaram a Ciclix, startup que tem como foco gerar indicadores operacionais – CAPEX e OPEX – a fim de auxiliar administradores de hospitais e equipes médicas.

Por meio de seu aplicativo, a Ciclix fornece ferramentas como a intranet, possibilitando a comunicação entre diferentes departamentos, e o rastreamento em tempo real, permitindo a localização de equipamentos, colaboradores e pacientes. Segundo Ruppenthal, as soluções propostas pela healthtech ajudam a resolver uma dificuldade enfrentada por muitos hospitais: a gestão de processos e de equipamentos.

Para ilustrar o segundo caso, o cofundador conta que, na fase de testes do sistema do app, pediu para uma pessoa da enfermagem localizar um eletrocardiógrafo, no que ela saiu caminhando pelo hospital, foi até a sala de diagnóstico de imagem e, meia hora depois, voltou. ”A pessoa não estava com o eletrocardiógrafo e ainda perdeu meia hora”, explica. “Com o nosso aplicativo, o profissional consegue localizar o equipamento e verificar se ele está sendo utilizado naquele momento, o que facilita bastante.”

Além de reduzir o tempo gasto na busca por outros itens como cadeiras de rodas, macas e bombas de infusão, o rastreador gera indicadores importantes com relação à taxa de utilização de ativos, evitando, dessa forma, despesas desnecessárias para o hospital.

“Quando chega um pedido de compra de um equipamento que custa R$ 100 mil, o responsável consegue olhar no sistema e analisar a taxa de utilização do equipamento. Se for menor do que 50%, talvez não seja o caso de comprar um equipamento novo, mas apenas de realocá-lo, tirando de um departamento e levando para outro” , afirma Ruppenthal.

Atualmente, a empresa possui dois clientes e tem como meta atingir uma receita acumulada de R$ 530 mil até o final de 2021.

Sobre o cliente
O cliente citado neste estudo de caso está entre os dez maiores grupos hospitalares do Brasil, com 24 unidades de atendimento espalhadas pelo país. A parceria que teve início em outubro de 2019 como um projeto piloto evoluiu e, no final do ano passado, tornou-se um serviço recorrente.

Dentre os desafios enfrentados pelo cliente, estavam: avaliar o desempenho das equipes médicas e compreender como os equipamentos hospitalares eram utilizados.

Da POC ao produto final
Para atingir tais objetivos não bastou ter a tecnologia, foi necessária uma comunicação constante entre a Ciclix e o cliente a fim de que a PoC (prova de conceito) apresentada fosse ajustada e aprimorada até chegar em uma versão que atendesse às necessidades do hospital.

O processo, claro, envolveu a utilização de diversas tecnologias, como a de Bluetooth Low Energy (BLE), um tipo de bluetooth que, por consumir bem menos energia do que a “versão clássica”, tornou-se uma das principais opções para as aplicações de Internet das Coisas (IoT) – como neste caso. “Com uma arquitetura de captura dos sinais dos Beacons da Ciclix, podemos processar essas informações em nossas redes de inteligência artificial e fornecer indicações adequadas de posicionamento de equipamentos e pessoas no interior do hospital”, diz Neto, cofundador da startup. “Assim, conseguimos criar fluxos operacionais facilitados para a equipe assistencial e administrativa.”

Além da tecnologia de rastreamento em tempo real, a healthtech elaborou um protocolo digitalizado de acidente vascular cerebral (AVC), com o objetivo de trazer mais segurança e praticidade ao atendimento de pacientes que apresentam sinais de AVC.

Resultados obtidos
Um dos maiores ganhos com a digitalização do Protocolo AVC foi a possibilidade de mapear o tempo de atendimento de pacientes, os quais dependem da agilidade da equipe médica para o sucesso do tratamento. Ou seja, mensurar e analisar o tempo para a aplicação de protocolos como este são passos fundamentais para identificar pontos de melhoria no processo, visando o ganho de eficiência.

Quando o paciente chega ao hospital com sinais de AVC, ele recebe uma pulseira com o dispositivo beacon da Ciclix, permitindo um acompanhamento mais assertivo do seu estado de saúde. “Nós conseguimos auditar quem estava com o paciente, por onde ele passou, por onde passaram os funcionários, ter certeza de quanto tempo durou cada etapa, ou seja, conseguimos mapear a jornada inteira do paciente no hospital e auxiliar as equipes”, explica Christian Ruppenthal.

Segundo o cofundador, o compartilhamento de informações no aplicativo torna o trabalho da equipe médica mais eficiente e garante, ainda, a segurança dos dados do paciente e do hospital.

Após um ano utilizando a tecnologia de rastreamento de ativos desenvolvida pela startup, o hospital economizou 8% na compra de novos equipamentos – aproximadamente R$ 70 mil. Ruppenthal e Neto estimam ainda que o tempo gasto pela equipe médica na procura por equipamentos foi reduzido pela metade.

De olho no futuro
A startup, que hoje conta com quatro funcionários, quer ampliar ainda mais o seu leque de soluções. A ideia é que, além de rastrear os equipamentos em tempo real, o software realize um diagnóstico constante das peças. De acordo com Neto, a nova funcionalidade permitirá antecipar possíveis problemas e aumentar a vida útil dos ativos. “Na nova versão do aplicativo que está para sair, o corpo da engenharia clínica vai receber uma notificação dizendo, por exemplo, que ‘a cadeira de rodas do apartamento 308 quebrou, está neste local e nós estamos aguardando a retirada’. Com isso, nós conseguimos gerar indicadores de tempo hábil para manutenção dos equipamentos, o que é bem importante para o hospital.”

Via: Liga Insights 

Acesse o site da epharma

Artigos em comum

Genética inovadora: Algoritmo do Einstein acelera diagnóstico

Genética inovadora: Algoritmo do Einstein acelera diagnóstico

O Einstein é a primeira organização da América Latina a padronizar as recomendações das principais sociedades mundiais de genômica em um algoritmo de IA adaptado às peculiaridades brasileiras para identificação de alterações de DNA associadas às doenças genéticas. O...

Paciente Digital: Parceria Inovadora em Oftalmologia

Paciente Digital: Parceria Inovadora em Oftalmologia

A Healthtech Nilo acaba de fechar parceria com a unidade de negócios de Oftalmologia do Grupo Fleury com o objetivo de acompanhar pacientes que vão passar por cirurgias de forma personalizada e humanizada. A jornada digital de fácil acesso, já que é realizada via...

Saúde em Foco: Multimorbidades em São Paulo e Desafios

Saúde em Foco: Multimorbidades em São Paulo e Desafios

O diagnóstico de duas ou mais doenças crônicas para uma mesma pessoa cresceu nos últimos 20 anos. O aumento dessa condição, conhecida como multimorbidade, acompanha o envelhecimento da população na cidade de São Paulo. Em 2015, 42,2% da população paulistana com mais...

Acompanhe +O2labs

+o2Labs Respire boas ideias

Sobre +O2labs

Uma plataforma própria com uma metodologia vencedora voltada exclusivamente para inovação na prática com 3 programas distintos:

  • Central de Ideias: campanhas de intraempreendedorismo para fomentar a cultura de inovação com os epharmers, nossos colaboradores.
  • epharma Disrupt: desenvolver os melhores MPVs através de squads multifuncionais e alianças estratégicas para cocriação entre experts.
  • epharma Connect: foco em inovação aberta com staturps que queiram fazer parte de nossos desafios de forma colaborativa, e conectar com outros labs para criar parcerias diversificadas e escalar MVPs.

Junte-se a nós neste mesmo objetivo! Respire boas ideias.