Estamos aqui para impulsionar a transformação no mercado da saúde

USP desenvolve tecnologia para exame de fundo de olho com celular

Escrito por Editor@

novembro 17, 2022

Profissionais de saúde poderão examinar fundo de olho com o celular. Vão precisar apenas de um dispositivo que acopla lentes à câmera do aparelho e fixa o rosto do paciente. A ferramenta já existe, foi desenvolvida por alunos e professor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, batizada de Smart Eye Cap, e deve chegar em breve ao mercado.

Ex-aluno de medicina na USP de Ribeirão Preto, Carlos Augusto Servato Borges é um dos idealizadores do protótipo – Foto: Arquivo pessoal
A ideia de conferir mais um uso ao celular surgiu em uma aula de oftalmoscopia (técnica que observa fundo de olho), ministrada pelo professor Rodrigo Jorge, durante o I Simpósio da Liga de Oftalmologia da FMRP em 2017. “Eu comentei que a gente podia documentar o fundo de olho com um celular e, depois da aula, dois alunos vieram me procurar”, conta Jorge.

Alunos de graduação da FMRP na época, os médicos generalistas Carlos Augusto Servato Borges e Igor Fernando Almeida Teodoro, discutiram a ideia com o professor e partiram para a ação. Com a ajuda da Oficina de Precisão, da Prefeitura do Campus USP em Ribeirão Preto, obtiveram um protótipo que foi aperfeiçoado depois com outra parceira, a empresa Viewmed Equipamentos Médicos.

“Com sua mecânica e sua óptica, o dispositivo permite que a câmera do celular foque o fundo de olho e também que tire foto do segmento anterior do olho, da córnea, do cristalino, da íris, da conjuntiva”, informa o professor Jorge. Na verdade, garante, o celular é acoplado à estrutura do novo equipamento, fixando as distâncias e mobilizando a imagem para garantir o foco. Uma das principais dificuldades encontradas pelos desenvolvedores do Smart Eye Cap foi a estabilização da imagem, já que “uma mínima variação pode comprometer todo o processo diagnóstico”, acrescenta o oftalmologista Borges.

Agora, aprovada cientificamente (estudo comprovando eficiência publicado no International Journal of Retina and Vitreous) e patenteada, a novidade passa pelos últimos ajustes e está com previsão de lançamento no mercado para setembro próximo.

Acessibilidade diagnóstica com pouco recurso tecnológico

Igor Fernando Almeida Teodoro – Foto: Arquivo Pessoal
“Qualquer médico, qualquer profissional de saúde que deseja avaliar o fundo de olho dos pacientes” pode utilizar a nova ferramenta, adianta o ex-aluno e atual médico Teodoro, que informa existir uma série de doenças que acometem o fundo do olho (neurológicas, endocrinológicas e outras doenças sistêmicas). “Qualquer médico que quer avaliar a repercussão dessas doenças no fundo do olho se beneficiaria do dispositivo”, insiste o médico.

A grande vantagem, continua Teodoro, é o baixo custo. Hoje, as tecnologias existentes no mercado para este tipo de exame são muito caras. “A nossa solução permite que a avaliação do fundo de olho de doenças seja levado para regiões de baixa renda, com poucos recursos, com baixo aparato tecnológico”, diz.

Por Vinícius Botelho e Ferraz Jr

Via: USP

Acesse o site da epharma

Artigos em comum

Genética inovadora: Algoritmo do Einstein acelera diagnóstico

Genética inovadora: Algoritmo do Einstein acelera diagnóstico

O Einstein é a primeira organização da América Latina a padronizar as recomendações das principais sociedades mundiais de genômica em um algoritmo de IA adaptado às peculiaridades brasileiras para identificação de alterações de DNA associadas às doenças genéticas. O...

Paciente Digital: Parceria Inovadora em Oftalmologia

Paciente Digital: Parceria Inovadora em Oftalmologia

A Healthtech Nilo acaba de fechar parceria com a unidade de negócios de Oftalmologia do Grupo Fleury com o objetivo de acompanhar pacientes que vão passar por cirurgias de forma personalizada e humanizada. A jornada digital de fácil acesso, já que é realizada via...

Saúde em Foco: Multimorbidades em São Paulo e Desafios

Saúde em Foco: Multimorbidades em São Paulo e Desafios

O diagnóstico de duas ou mais doenças crônicas para uma mesma pessoa cresceu nos últimos 20 anos. O aumento dessa condição, conhecida como multimorbidade, acompanha o envelhecimento da população na cidade de São Paulo. Em 2015, 42,2% da população paulistana com mais...

Acompanhe +O2labs

+o2Labs Respire boas ideias

Sobre +O2labs

Uma plataforma própria com uma metodologia vencedora voltada exclusivamente para inovação na prática com 3 programas distintos:

  • Central de Ideias: campanhas de intraempreendedorismo para fomentar a cultura de inovação com os epharmers, nossos colaboradores.
  • epharma Disrupt: desenvolver os melhores MPVs através de squads multifuncionais e alianças estratégicas para cocriação entre experts.
  • epharma Connect: foco em inovação aberta com staturps que queiram fazer parte de nossos desafios de forma colaborativa, e conectar com outros labs para criar parcerias diversificadas e escalar MVPs.

Junte-se a nós neste mesmo objetivo! Respire boas ideias.