Estamos aqui para impulsionar a transformação no mercado da saúde

Governança corporativa: Desafios e Vantagens na Saúde Empresarial

Escrito por Letícia Nani

novembro 23, 2023

Interdependência, complexidade, riscos jurídicos e dilemas éticos estão no dia a dia das empresas de saúde. Muitas vezes geridas por fundadores com profundo conhecimento técnico do setor, deixam a desejar quando o assunto é gestão profissionalizada e práticas transparentes.

Pesam, na decisão de implementar a Governança Corporativa, as especificidades do setor, que demanda flexibilidade, conhecimento técnico, engajamento de profissionais que nem sempre mantém vínculo direto com a instituição e a conciliação de interesses de diversos stakeholders.

Por outro lado, manter o status quo e não enfrentar esses desafios torna a empresa mais lenta nas respostas à inovação, mais exposta a questões de compliance, seja em ética médica, seja na relação com fornecedores e clientes, ou, até mesmo, no cumprimento das obrigações junto aos órgãos reguladores, e menos eficiente do ponto de vista financeiro.

Vencer essas resistências, porém, e apostar em Governança Corporativa pode gerar muitos benefícios. Regras e políticas bem estabelecidas trazem agilidade na tomada de decisões e na resolução de conflitos, permitem que as equipes atuem de forma mais autônoma, seguindo diretrizes claras, e tornam as atividades mais transparentes, o que, consequentemente, deixa a empresa com um posicionamento melhor no mercado.

O estudo “Iniciativas ESG geram valor?”, da Bain & Company, conclui que empresas com sólidas práticas éticas, ambientais e trabalhistas têm margens de lucro de três a quatro pontos percentuais acima das que não seguem esses critérios.

Por onde começar?

A utilização de uma matriz de materialidade ajuda a definir as questões prioritárias para a empresa e stakeholders, identificar os temas mais relevantes e focar na geração de valor e impactos para o crescimento da organização.

A análise de casos de sucesso também apoia os conselhos consultivos e executivos neste aprimoramento da gestão. O estudo “ESG para Organizações de Saúde”, da KPMG, mostra que as principais medidas tomadas pelas pesquisadas, quando o tema é governança, foram: relatar, monitorar e compartilhar o progresso da responsabilidade corporativa, constituir conselhos com diversidade de gênero e raça, criar metas de equidade salarial e desenhar políticas de ética, fraude e compliance. A área menos divulgada do ESG, de acordo com o estudo, traz oportunidades para que as instituições se diferenciem no mercado e lidem melhor com suas vulnerabilidades.

Criar um plano prático e tangível de ação manterá as pessoas engajadas, facilitará o entendimento de que esta não é só mais uma obrigação e trará agilidade para implementar as mudanças necessárias.

Por fim, transparência, prestação de contas e boas práticas de comunicação andam juntas: medir, quantificar e divulgar os valores gerados pela governança corporativa e, em outro estágio, pela adoção de políticas ESG, são medidas que contribuem para a construção de reputação e legado entre as organizações do setor.

 

Via: Saúde Business

Acesse o site da epharma

Artigos em comum

Conhecendo a protagonista em inovação na saúde Carolina Soihet Cohen

Conhecendo a protagonista em inovação na saúde Carolina Soihet Cohen

Carolina Soihet Cohen é uma renomada especialista em Comunicação de Causas e uma das líderes do movimento global pela saúde e igualdade de acesso a tratamentos médicos. Como cofundadora da Colabore com o Futuro, ela está à frente na defesa dos direitos à saúde e na...

Conheça o Protagonista da Saúde: Alex Sanghikian

Conheça o Protagonista da Saúde: Alex Sanghikian

Na busca por entender o futuro da saúde, é crucial conhecer os visionários que estão moldando esse cenário. Entre esses líderes está Alex Sanghikian, atual gerente da área de Digital & Inovação da Sandoz no Brasil. Com mais de 15 anos de experiência na vanguarda...

Acompanhe +O2labs

+o2Labs Respire boas ideias

Sobre +O2labs

Uma plataforma própria com uma metodologia vencedora voltada exclusivamente para inovação na prática com 3 programas distintos:

  • Central de Ideias: campanhas de intraempreendedorismo para fomentar a cultura de inovação com os epharmers, nossos colaboradores.
  • epharma Disrupt: desenvolver os melhores MPVs através de squads multifuncionais e alianças estratégicas para cocriação entre experts.
  • epharma Connect: foco em inovação aberta com staturps que queiram fazer parte de nossos desafios de forma colaborativa, e conectar com outros labs para criar parcerias diversificadas e escalar MVPs.

Junte-se a nós neste mesmo objetivo! Respire boas ideias.